007

Disponível: Em estoque

R$1.299,99

SKU: 00023

Objetivo do Curso: Este curso tem o objetivo de proporcionar ao participante o aprendizado de metodos, técnicas e estratégias referentes a atividade investigativa com fins de que o mesmo possa atuar profissionalmente como Investigador e Detetive Particular.
Público Alvo: Este curso é recomendado para todos aqueles que desejam atuar como investigador e detetive particular pois o mesmo terá acesso a um conhecimento teórico e prático com fins de aplicar nas mais diversas situações que envolvem as atividades de investigador. Este curso é recomendado também para profissionais liberais, autônomos e pessoas que desejam uma maior flexibilidade de tempo fazendo com que tal trabalhe o quanto quiser e como quiser.
Pré-Requisitos: Qualquer pessoa, que saiba ler e escrever poderá se tornar um detetive particular. Os pré-requisitos para formação como detetive ou investigador particular dependerá de escola e/ou sociedade que ministram estes cursos.
Carga Horária: Equivalente á 250 horas.
Período: 3 meses de Curso.
Material didático: Todo disposto em nossa plataforma de aprendizado para os alunos devidamente matriculados no curso. O material compreende: apostila, obras sugeridas á serem consultadas, vídeos demonstrativos, artigos.
Metodologia de Ensino: Curso totalmente a distância feito Online.
Corpo de Docentes e Tutores: Em nosso corpo acadêmico temos mestres e doutores como professores e tutores. Os professores deste curso são: Psicólogos, Psicanalistas, Psicoterapeutas.
Conteúdo Programatico do Curso:
• Características Fundamentais
• Informação
• Contato e Negociação com o Cliente
• Prática Investigativa
• Campana
• Ética
• O Jogo do Detetive
 A Tecnologia e a Investigação
 Equipamentos Eletrônicos
 Equipamentos de Áudio
 Equipamentos de Vídeo
 Equipamentos de Disfarce
 O Detetive e a Justiça
 Noções de Direito
 Normas Jurídicas
 Os Princípios Jurídicos
 Direitos e Garantias Individuais
 Regularização da Atividade Perante os Órgãos Oficiais
 As Drogas e a Investigação
 Conceitos das Drogas
 Breve Histórico das Drogas
 As Drogas e seus Efeitos no Organismo
 Drogas de Consumo Mais Freqüente
 As Drogas e a Sociedade
 A Lei dos Tóxicos
 A Ciência e o Detetive
 O Detetive e a Investigação Científica
 Ciências Aplicadas à Investigação
 A Contribuição das Ciências
 Perícia
 Documentoscopia
 Lesões Corporais
 A Psicologia e o Detetive
 O Desafio de Entender as Pessoas
 Análise do Comportamento
 Personalidade
 Mensagens corporais
 Espionagem
Legalidade Profissional e do Curso: As atividades de inteligência privada são RECONHECIDAS no país desde 1959, conforme LEI 3.099/57 e o DECRETO FEDERAL 50.532/61, ambos ainda em vigor.
A Classificação Brasileira de Ocupações - CBO - do Ministério do Trabalho e Emprego classifica sob o código 3518-05 a atividade de AGENTES DE INVESTIGAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: AGENTE DE INVESTIGAÇÃO PRIVADA, INVESTIGADOR PARTICULAR, DETETIVE PARTICULAR, DETETIVE PROFISSIONAL. Assim o aluno poderá trabalhar com REGISTRO EM CARTEIRA para Agências de Investigações devidamente legalizadas, seja como Detetive ou como Auxiliar, e até mesmo em grandes empresas que possem setor de Inteligência, Prevenção de Fraudes, Prevenção de Perdas, Furtos Continuados, etc.
A Classificação Internacional Uniforme de Ocupações – CIUO88 – da Organização Internacional do Trabalho – OIT – que é um órgão da ONU, classifica sob o código 3450 a atividade de INSPECTORES DE POLICIA E DETECTIVES.
A Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE – do IBGE/Ministério do Planejamento classifica sob o código 8030-7/00 as ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO PARTICULAR, AGÊNCIA DE DETETIVES PARTICULARES, SERVIÇOS DE INVESTIGAÇÃO PRIVADA.
Diz a Constituição Federal em seu artigo 5º inciso XIII
"É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer."
Diz a Constituição Federal em seu artigo 170º parágrafo único
"É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei".
Em 10 de junho de 2014 foi APROVADO na CÂMARA DOS DEPUTADOS em Brasília o PROJETO DE LEI 1211/2011 de autoria do Deputado Federal Ronaldo Nogueira, propondo REGULAMENTAÇÃO para a atividade de INVESTIGAÇÃO PARTICULAR bem como normas para os CURSOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL do DETETIVE PARTICULAR e AGENTE DE INTELIGÊNCIA PRIVADA. O projeto já está no Senado Federal aguardando votação, para posterior sanção presidencial. Dentro de poucos meses esta lei deverá ser publicada e estabelecidas as normas e toda a regulamentação.
Até que a nova lei entre em vigor, a profissão de Detetive Particular ainda é considerada atividade de LIVRE EXERCÍCIO por não haver regulamentação. Portanto, para seu exercício basta o aluno ser admitido por uma Agência de Investigações devidamente legalizada, ou exercer a profissão como Detetive Particular Autônomo, mediante registro na prefeitura de sua cidade ou podendo ainda abrir uma EMPRESA DE INVESTIGAÇÕES, caso a prefeitura local não permita tal atividade de forma autônoma. Muitos exercem a profissão a partir de casa e sem nenhum registro, mas sugerimos aos alunos que façam pelo menos o registro como Detetive Particular junto ao INSS na condição de contribuinte individual Autônomo.
Não é atribuição da Polícia Civil ou da Polícia Federal a fiscalização, autorização para funcionamento ou reconhecimento de cursos ou agências de Detetives Particulares. A nova lei acima é que deverá determinar os órgãos de registro e fiscalização, e somente quando entrar em vigor.
A Classificação Nacional de Atividades Econônicas - CNAE, código 8599-6/99, classifica o ensino livre compreendendo: "as instituições que oferecem cursos de educação profissional de nível básico, de duração variável, destinados a qualificar e requalificar os trabalhadores, independentemente da escolaridade escolaridade prévia, não estando sujeitos a regulamentação curricular".
Conforme a LEI 9.394 de 20 de dezembro de 1996 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o DECRETO nº. 5.154 de 23 de julho de 2004 e a Deliberação CEE 14/97 (Indicação CEE 14/97 SP) os cursos chamados livres permanecem dispensados autorização do MEC para funcionamento e aprovação de conteúdo nem de Conselhos Estaduais de Educação que atuam somente sobre o ENSINO OFICIAL.
A Lei 5.154/04, que regulamenta os artigos 36, 39, 40 e 41 da lei 9.394/96 cita em seu artigo 3º, diz:"Art. 3º Os cursos e programas de formação inicial e continuada de trabalhadores, referidos no inciso I do art. 1o, incluídos a capacitação, o aperfeiçoamento, a especialização e a atualização, em todos os níveis de escolaridade, poderão ser ofertados segundo itinerários formativos, objetivando o desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva e social.
§ 1o Para fins do disposto no caput considera-se itinerário formativo o conjunto de etapas que compõem a organização da educação profissional em uma determinada área, possibilitando o aproveitamento contínuo e articulado dos estudos.
§ 2o Os cursos mencionados no caput articular-se-ão, preferencialmente, com os cursos de educação de jovens e adultos, objetivando a qualificação para o trabalho e a elevação do nível de escolaridade do trabalhador, o qual, após a conclusão com aproveitamento dos referidos cursos, fará jus a certificados de formação inicial ou continuada para o trabalho."
Anteriormente à lei supra, referia-se o artigo 4º do Decreto 2.208/97 da seguinte forma: "Art 4 º A educação profissional de nível básico é modalidade de educação não-formal e duração variável, destinada a proporcionar ao cidadão trabalhador conhecimentos que lhe permitam reprofissionalizar-se, qualificar-se e atualizar-se para o exercício de funções demandadas pelo mundo do trabalho, compatíveis com a complexidade tecnológica do trabalho, o seu grau de conhecimento técnico e o nível de escolaridade do aluno, não estando sujeita à regulamentação curricular."
Não se tratando AINDA de profissões REGULAMENTADAS, neste momento nossos cursos enquadram-se na categoria de CURSOS LIVRES, em conformidade com a legislação educacional brasileira supra mencionada, sendo estes voltados para formação inicial, capacitação, qualificação, aperfeiçoamento, especialização e atualização, a partir do nível fundamental, objetivando o desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva, empresarial e social. Portanto, não estão sujeitos à tutela do MEC/CAPES/CEE. Tratam-se de CURSOS LIVRES tais como os cursos de Língua Estrangeira, Terapias Holísticas e Naturais, Computação, Meio Ambiente, Estética, Banho e Tosa, Jardinagem, Mecânica de Automóveis, dentre outros que suas profissões NÃO possuem REGULAMENTAÇÃO por LEIS, DECRETOS, MPS ou ainda por ENTIDADES OU CONSELHOS DE CLASSES PROFISSIONAIS, como CREA, CRC, CRA, CRM, CRECI, OAB, etc.
Pelo artigo 206 item II da Constituição Federal, o ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;"
Conforme a NOTA TÉCNICA nº 392/2013 do MEC - Ministério da Educação, em sua página 5/6 tal atividade é descrita da seguinte forma: "Cursos livres são aqueles ofertados por entidades que não se encontram credenciadas junto ao Sistema Federal de Ensino par o ensino superior de graduação ou pós-graduação... sendo-lhes permitida a emissão de certificados de participação... por esta razão este Ministério da Educação não tem competência para atuar no sentido de fiscalizar, aplicar penalidades... entidades não educacionais que não ofertem cursos superiores e que ofertem apenas cursos livres."
As escolas livres também são reconhecidas e admitidas pela Receita Federal do Brasil, no enquadramento do Simples Nacional, abaixo a transcrição da Solução de Consulta nº 387 de 06 de novembro de 2007: "EMENTA: SIMPLES NACIONAL. ENSINO LIVRE E CURSO TÉCNICO. Ensino livre é o não regulamentado. Ou seja, em contraste com o sistema de ensino regular, são cursos de duração variada, para atividades profissionais ou mero aprimoramento pessoal, p.ex., auto ajuda, beleza, moda, comportamento, reiki, feng shui etc. Já o curso técnico é espécie do gênero educação profissional, que conduz ao desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva, em articulação com o ensino regular ou por diferentes estratégias de educação continuada, em instituições especializadas ou no ambiente de trabalho, mediante cursos regulares ou especiais Se as aulas da consulente são ministradas em regime de escola livre ou curso técnico, é permitida a opção pelo Simples Nacional. Caso contrário, é vedada, porque constituem serviço de instrutor e/ou atividade intelectual, de natureza técnica ou científica." Fonte: Receita Federal
Certificação: Certificação emitida pela Emill Brunner University cadastrada no CNPQ -CAPES, no Cadastro do Diretório Institucional, na ANVISA e reconhecida de acordo com a LDB (Leis das Diretrizes e Bases da Educação), acreditada pela EBWU-USA e pela AAWUC – Association American World Universities and Colleges -USA. Certificação aceita em prova de títulos referentes a concursos públicos e como atividades e horas complementares para faculdades. Após o recebimento da certificação o mesmo poderá pedir seu credenciamento na OGIDEP – Ordem Global dos Investigadores e Detetives Particulares conosco.

Comprar

BENEFÍCIOS VOCÊ ENCONTRA

Estudando conosco oferecemos uma gama de oportunidades vantagens que nenhuma outra oferece!
Faça deposito em conta ou Pague no Boleto
Pague no seu cartão de Credito aceitamos todos Pague em 2x, 4x ou 6x
Faça sua carteira de Estudante Internacional
Reconhecimento Mundial

Detalhes

Objetivo do Curso: Este curso tem o objetivo de proporcionar ao participante o aprendizado de metodos, técnicas e estratégias referentes a atividade investigativa com fins de que o mesmo possa atuar profissionalmente como Investigador e Detetive Particular. Público Alvo: Este curso é recomendado para todos aqueles que desejam atuar como investigador e detetive particular pois o mesmo terá acesso a um conhecimento teórico e prático com fins de aplicar nas mais diversas situações que envolvem as atividades de investigador. Este curso é recomendado também para profissionais liberais, autônomos e pessoas que desejam uma maior flexibilidade de tempo fazendo com que tal trabalhe o quanto quiser e como quiser. Pré-Requisitos: Qualquer pessoa, que saiba ler e escrever poderá se tornar um detetive particular. Os pré-requisitos para formação como detetive ou investigador particular dependerá de escola e/ou sociedade que ministram estes cursos. Carga Horária: Equivalente á 250 horas. Período: 3 meses de Curso. Material didático: Todo disposto em nossa plataforma de aprendizado para os alunos devidamente matriculados no curso. O material compreende: apostila, obras sugeridas á serem consultadas, vídeos demonstrativos, artigos. Metodologia de Ensino: Curso totalmente a distância feito Online. Corpo de Docentes e Tutores: Em nosso corpo acadêmico temos mestres e doutores como professores e tutores. Os professores deste curso são: Psicólogos, Psicanalistas, Psicoterapeutas. Conteúdo Programatico do Curso: • Características Fundamentais • Informação • Contato e Negociação com o Cliente • Prática Investigativa • Campana • Ética • O Jogo do Detetive  A Tecnologia e a Investigação  Equipamentos Eletrônicos  Equipamentos de Áudio  Equipamentos de Vídeo  Equipamentos de Disfarce  O Detetive e a Justiça  Noções de Direito  Normas Jurídicas  Os Princípios Jurídicos  Direitos e Garantias Individuais  Regularização da Atividade Perante os Órgãos Oficiais  As Drogas e a Investigação  Conceitos das Drogas  Breve Histórico das Drogas  As Drogas e seus Efeitos no Organismo  Drogas de Consumo Mais Freqüente  As Drogas e a Sociedade  A Lei dos Tóxicos  A Ciência e o Detetive  O Detetive e a Investigação Científica  Ciências Aplicadas à Investigação  A Contribuição das Ciências  Perícia  Documentoscopia  Lesões Corporais  A Psicologia e o Detetive  O Desafio de Entender as Pessoas  Análise do Comportamento  Personalidade  Mensagens corporais  Espionagem Legalidade Profissional e do Curso: As atividades de inteligência privada são RECONHECIDAS no país desde 1959, conforme LEI 3.099/57 e o DECRETO FEDERAL 50.532/61, ambos ainda em vigor. A Classificação Brasileira de Ocupações - CBO - do Ministério do Trabalho e Emprego classifica sob o código 3518-05 a atividade de AGENTES DE INVESTIGAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: AGENTE DE INVESTIGAÇÃO PRIVADA, INVESTIGADOR PARTICULAR, DETETIVE PARTICULAR, DETETIVE PROFISSIONAL. Assim o aluno poderá trabalhar com REGISTRO EM CARTEIRA para Agências de Investigações devidamente legalizadas, seja como Detetive ou como Auxiliar, e até mesmo em grandes empresas que possem setor de Inteligência, Prevenção de Fraudes, Prevenção de Perdas, Furtos Continuados, etc. A Classificação Internacional Uniforme de Ocupações – CIUO88 – da Organização Internacional do Trabalho – OIT – que é um órgão da ONU, classifica sob o código 3450 a atividade de INSPECTORES DE POLICIA E DETECTIVES. A Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE – do IBGE/Ministério do Planejamento classifica sob o código 8030-7/00 as ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO PARTICULAR, AGÊNCIA DE DETETIVES PARTICULARES, SERVIÇOS DE INVESTIGAÇÃO PRIVADA. Diz a Constituição Federal em seu artigo 5º inciso XIII "É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer." Diz a Constituição Federal em seu artigo 170º parágrafo único "É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei". Em 10 de junho de 2014 foi APROVADO na CÂMARA DOS DEPUTADOS em Brasília o PROJETO DE LEI 1211/2011 de autoria do Deputado Federal Ronaldo Nogueira, propondo REGULAMENTAÇÃO para a atividade de INVESTIGAÇÃO PARTICULAR bem como normas para os CURSOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL do DETETIVE PARTICULAR e AGENTE DE INTELIGÊNCIA PRIVADA. O projeto já está no Senado Federal aguardando votação, para posterior sanção presidencial. Dentro de poucos meses esta lei deverá ser publicada e estabelecidas as normas e toda a regulamentação. Até que a nova lei entre em vigor, a profissão de Detetive Particular ainda é considerada atividade de LIVRE EXERCÍCIO por não haver regulamentação. Portanto, para seu exercício basta o aluno ser admitido por uma Agência de Investigações devidamente legalizada, ou exercer a profissão como Detetive Particular Autônomo, mediante registro na prefeitura de sua cidade ou podendo ainda abrir uma EMPRESA DE INVESTIGAÇÕES, caso a prefeitura local não permita tal atividade de forma autônoma. Muitos exercem a profissão a partir de casa e sem nenhum registro, mas sugerimos aos alunos que façam pelo menos o registro como Detetive Particular junto ao INSS na condição de contribuinte individual Autônomo. Não é atribuição da Polícia Civil ou da Polícia Federal a fiscalização, autorização para funcionamento ou reconhecimento de cursos ou agências de Detetives Particulares. A nova lei acima é que deverá determinar os órgãos de registro e fiscalização, e somente quando entrar em vigor. A Classificação Nacional de Atividades Econônicas - CNAE, código 8599-6/99, classifica o ensino livre compreendendo: "as instituições que oferecem cursos de educação profissional de nível básico, de duração variável, destinados a qualificar e requalificar os trabalhadores, independentemente da escolaridade escolaridade prévia, não estando sujeitos a regulamentação curricular". Conforme a LEI 9.394 de 20 de dezembro de 1996 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o DECRETO nº. 5.154 de 23 de julho de 2004 e a Deliberação CEE 14/97 (Indicação CEE 14/97 SP) os cursos chamados livres permanecem dispensados autorização do MEC para funcionamento e aprovação de conteúdo nem de Conselhos Estaduais de Educação que atuam somente sobre o ENSINO OFICIAL. A Lei 5.154/04, que regulamenta os artigos 36, 39, 40 e 41 da lei 9.394/96 cita em seu artigo 3º, diz:"Art. 3º Os cursos e programas de formação inicial e continuada de trabalhadores, referidos no inciso I do art. 1o, incluídos a capacitação, o aperfeiçoamento, a especialização e a atualização, em todos os níveis de escolaridade, poderão ser ofertados segundo itinerários formativos, objetivando o desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva e social. § 1o Para fins do disposto no caput considera-se itinerário formativo o conjunto de etapas que compõem a organização da educação profissional em uma determinada área, possibilitando o aproveitamento contínuo e articulado dos estudos. § 2o Os cursos mencionados no caput articular-se-ão, preferencialmente, com os cursos de educação de jovens e adultos, objetivando a qualificação para o trabalho e a elevação do nível de escolaridade do trabalhador, o qual, após a conclusão com aproveitamento dos referidos cursos, fará jus a certificados de formação inicial ou continuada para o trabalho." Anteriormente à lei supra, referia-se o artigo 4º do Decreto 2.208/97 da seguinte forma: "Art 4 º A educação profissional de nível básico é modalidade de educação não-formal e duração variável, destinada a proporcionar ao cidadão trabalhador conhecimentos que lhe permitam reprofissionalizar-se, qualificar-se e atualizar-se para o exercício de funções demandadas pelo mundo do trabalho, compatíveis com a complexidade tecnológica do trabalho, o seu grau de conhecimento técnico e o nível de escolaridade do aluno, não estando sujeita à regulamentação curricular." Não se tratando AINDA de profissões REGULAMENTADAS, neste momento nossos cursos enquadram-se na categoria de CURSOS LIVRES, em conformidade com a legislação educacional brasileira supra mencionada, sendo estes voltados para formação inicial, capacitação, qualificação, aperfeiçoamento, especialização e atualização, a partir do nível fundamental, objetivando o desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva, empresarial e social. Portanto, não estão sujeitos à tutela do MEC/CAPES/CEE. Tratam-se de CURSOS LIVRES tais como os cursos de Língua Estrangeira, Terapias Holísticas e Naturais, Computação, Meio Ambiente, Estética, Banho e Tosa, Jardinagem, Mecânica de Automóveis, dentre outros que suas profissões NÃO possuem REGULAMENTAÇÃO por LEIS, DECRETOS, MPS ou ainda por ENTIDADES OU CONSELHOS DE CLASSES PROFISSIONAIS, como CREA, CRC, CRA, CRM, CRECI, OAB, etc. Pelo artigo 206 item II da Constituição Federal, o ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;" Conforme a NOTA TÉCNICA nº 392/2013 do MEC - Ministério da Educação, em sua página 5/6 tal atividade é descrita da seguinte forma: "Cursos livres são aqueles ofertados por entidades que não se encontram credenciadas junto ao Sistema Federal de Ensino par o ensino superior de graduação ou pós-graduação... sendo-lhes permitida a emissão de certificados de participação... por esta razão este Ministério da Educação não tem competência para atuar no sentido de fiscalizar, aplicar penalidades... entidades não educacionais que não ofertem cursos superiores e que ofertem apenas cursos livres." As escolas livres também são reconhecidas e admitidas pela Receita Federal do Brasil, no enquadramento do Simples Nacional, abaixo a transcrição da Solução de Consulta nº 387 de 06 de novembro de 2007: "EMENTA: SIMPLES NACIONAL. ENSINO LIVRE E CURSO TÉCNICO. Ensino livre é o não regulamentado. Ou seja, em contraste com o sistema de ensino regular, são cursos de duração variada, para atividades profissionais ou mero aprimoramento pessoal, p.ex., auto ajuda, beleza, moda, comportamento, reiki, feng shui etc. Já o curso técnico é espécie do gênero educação profissional, que conduz ao desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva, em articulação com o ensino regular ou por diferentes estratégias de educação continuada, em instituições especializadas ou no ambiente de trabalho, mediante cursos regulares ou especiais Se as aulas da consulente são ministradas em regime de escola livre ou curso técnico, é permitida a opção pelo Simples Nacional. Caso contrário, é vedada, porque constituem serviço de instrutor e/ou atividade intelectual, de natureza técnica ou científica." Fonte: Receita Federal Certificação: Certificação emitida pela Emill Brunner University cadastrada no CNPQ -CAPES, no Cadastro do Diretório Institucional, na ANVISA e reconhecida de acordo com a LDB (Leis das Diretrizes e Bases da Educação), acreditada pela EBWU-USA e pela AAWUC – Association American World Universities and Colleges -USA. Certificação aceita em prova de títulos referentes a concursos públicos e como atividades e horas complementares para faculdades. Após o recebimento da certificação o mesmo poderá pedir seu credenciamento na OGIDEP – Ordem Global dos Investigadores e Detetives Particulares conosco.

Queremos saber sua opinião

Produto: 007

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.